dito no bar

Sexo - - Página 3 de 4

É verdade que você é viciada em sexo

 

9 razões médicas para se praticar sexo

 

9 razões médicas para se praticar sexo
 

1 – Proteção cardiovascular

 
O coração pode até sair ganhando de verdade quando um sexo mais caliente marca presença no dia a dia. “Durante a relação sexual, como em um exercício físico moderado, há um aumento temporário do trabalho cardíaco e da pressão arterial”, explica o cardiologista José Lazzoli, da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte. Para preservar as artérias, contudo, é preciso suar a camisa no mínimo 30 minutos diários cinco vezes por semana. “E nem todo mundo consegue fazer sexo com essa duração e frequência”, observa o especialista. Então, a mensagem é somar às noites intensas uma corrida ou caminhada no parque pela manhã, por exemplo. Recado à turma que tem hipertensão descontrolada ou doença coronariana: consulte o médico. Nesses casos, tanto o coração pode atrapalhar o sexo quanto ele pode atrapalhar um coração com problemas.
 

2 – Um remédio contra a dor

 
Durante o bem-bom, o corpo fabrica uma porção de substâncias, entre hormônios e nurotransmissores. Uma delas é a endorfina, a mesma que dá as caras quando se pratica um exercício físico por alguns minutos. Essa molécula capaz de aliviar as sensações dolorosas é descarregada para valer no ápice da relação, o orgasmo. “Ela é o maior analgésico do nosso corpo”, afirma a médica Ruth Clapauch, da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia. E sua ação se prolonga após o ato sexual. Os especialistas estão começando a acreditar que, somada ao trabalho da ocitocina – outro hormônio liberado na hora do gozo -, a endorfina ajuda a aplacar dores crônicas na cabeça e nas juntas.
 

3 – Um basta ao excesso de estresse

 
Ninguém precisa ser cientista para saber que uma boa transa apaga a quase inevitável tensão do dia a dia. Mas saiba que até os pesquisadores estão cada vez mais interessados nesse potencial, que é maior quanto mais intenso for o sexo. Um estudo da Universidade de Paisley, na Escócia, constatou: os voluntários que faziam questão da penetração respondiam melhor a situações estressantes. “A atividade sexual diminui o nível de ansiedade”, diz o urologista Joaquim de Almeida Claro, da Universidade de São Paulo (USP). “Só se deve tomar cuidado para não transformar o sexo a dois numa mera descarga de estresse”, lembra a psicóloga Ana Canosa, da Sociedade Brasileira de Estudos em Sexualidade Humana. É que, nesse caso, vira algo mecânico, quase obrigatório, sem envolvimento emocional. Aí não tem graça – e nem tanto efeito.
 

4 – Autoestima lá em cima

 
Qual o órgão do seu corpo que mais se aproveita de uma extenuante sessão a dois? Ele mesmo, o cérebro. Ora, lá se encontra o verdadeiro terminal do prazer. Quem agrada constantemente essa central de instintos e emoções ganha uma baita massagem no ego. “A autoestima melhora porque o indivíduo se sente desejado pelo outro”, resume a psicóloga Ana Canosa, de São Paulo. E não pense que essa guinada no astral se deve apenas ao orgasmo. “As preliminares também são fundamentais, sobretudo para a mulher, que precisa ser tocada e beijada. A excitação promove uma maior liberação de hormônios, aumentando o tamanho do canal vaginal e as chances de chegar ao orgasmo”, diz o ginecologista e obstetra Francisco Anello, do Hospital e Maternidade São Luiz, em São Paulo. Ou seja, tudo que antecede a penetração tem o seu valor para o corpo e para a mente dos parceiros. É claro que a relação não se restringe ao momento de catarse. “Mas sem orgasmo não se usufrui de todo o bem-estar após aquele acúmulo de tensão”, diz Ana.
 

5 – Mais prazer, menos gordura

 
Para manter a forma, homens e mulheres podem se dirigir a uma quadra de futebol, a uma piscina ou, por que não, a uma cama. Ora, o sexo é saboroso esporte de dupla. É óbvio que não dá para pensar em eliminar a barriga de chope ou definir a silhueta apostando apenas nisso. Mas ele não deixa de ser um aliado da queima de pneus. “O esforço de uma atividade sexual equivale, em média, a um trote a 7,5 quilômetros por hora”, calcula o cardiologista José Lazzoli. “Dependendo da intensidade da relação, é possível queimar de 100 a 300 calorias”, contabiliza Anello.
 

6 – Defesas reforçadas

 
Fazer sexo uma ou duas vezes por semana tornaria o sistema imune mais preparado para entrar em combate. É o que sugerem pesquisadores americanos que compararam amostras da saliva de pessoas sexualmente ativas com as de voluntários que pouco se aventuravam na cama. Eles concluíram o seguinte: quem transava com certa frequência abrigava mais anticorpos. O resultado, no entanto, ainda carece de um consenso entre os médicos. Isso porque, para muitos deles, uma defesa mais a postos não seria fruto da atividade sexual em si. “Há, sim, trabalhos mostrando que pessoas felizes têm melhor resposta imunológica. E a atividade sexual sem dúvida traz felicidade e qualidade de vida”, pondera Joaquim Claro.
 

7 – Músculos fortalecidos

 
Não dá para elevar o quarto à condição de academia, mas a atividade entre quatro paredes exige o esforço de alguns grupos musculares. Tudo depende, por exemplo, das posições na hora agá, mas é possível trabalhar as coxas, o dorso e o abdômen. No caso das mulheres, a relação ainda cobra a movimentação dos músculos da vagina. “Há um aumento do fluxo sangüíneo para a região”, conta a fisioterapeuta especialista em urologia Sophia Souto, da Universidade Estadual de Campinas, a Unicamp, que fica no interior paulista. “Durante o orgasmo, por exemplo, há uma contração dos músculos pélvicos”, diz. Quando unida a exercícios específicos para aumentar o controle da própria vagina, a relação ajudaria a tonificar sua musculatura, diminuindo o risco de problemas como a incontinência urinária.
 

8 – Lubrificação nota 10

 
Essa é para as mulheres que se aproximam da menopausa ou já atravessam o período marcado pela derrocada do hormônio feminino. Um dos principais reflexos da queda de estrogênio é a falta de lubrificação na vagina – um problema bastante comum, que leva à secura nessa região. “Mas aquelas que, após essa fase, mantêm relações sexuais tendem a apresentar menos atrofia do órgão genital”, conta a ginecologista Carolina Carvalho Ambrogini, da Universidade Federal de São Paulo, a Unifesp. Já as mulheres que raras vezes se divertem com o companheiro não só sofrem mais com o incômodo como também podem sentir mais dores durante a penetração.
 

9 – Para dormir pesado

 
Sim, uma noite tranquila também depende de uma cama movimentada. O que o casal costuma comprovar na prática a medicina sabe explicar: “A relação favorece o relaxamento muscular”, afirma o urologista e terapeuta sexual Celso Marzano. Isso porque, graças ao orgasmo, o corpo recebe uma enxurrada de substâncias que não demoram a agir, fazendo com que o indivíduo sinta uma mistura de bem-estar e exaustão. “O sono costuma vir depressa depois de um sexo mais vibrante”, observa Marzano. Mas, caro leitor, aguarde mais um pouco antes de rumar ao quarto.

Os 10 benefícios do orgasmo

 

Os 10 benefícios do orgasmo

1. Faz bem para a pele: “os orgasmos aumentam o fluxo de sangue nos tecidos, estimulando o sistema nervoso parassimpático, o que faz com que os vasos sanguíneos da pele se abram, criando uma aparência mais corada”, defende o dermatologista Mervyn Patterson.
 
2. Afasta resfriados: ter relações sexuais uma ou duas vezes por semana está relacionado com níveis mais altos de imunoglobulina A, um anticorpo que ajuda o seu sistema imunológico a funcionar melhor.
 
3. Aumenta a qualidade do sono: uma pesquisa mostrou que a oxitocina liberada durante o orgasmo causa relaxamento e, em seguida, sono.
 
4. Evita dores: nenhuma dor pode ser culpada por sua falta de interesse sexual. Segundo Beverly Whipple, que descobriu o ponto G, um orgasmo aumenta a tolerância às dores.
 
5. Protege o coração: se você não quer ter um ataque cardíaco, tenha um orgasmo. “Um estudo em Israel descobriu que mulheres com uma maior incidência de doenças do coração tinham menos orgasmos”, explica Lisa Turner.
 
6. Derruba o estresse: durante o orgasmo, o cérebro libera um coquetel de endorfinas, incluindo serotonina, um ingrediente-chave em remédios que combatem a depressão.
 
7. Combate o câncer de próstata: o sexo tem benefícios especiais para homens, especialmente aqueles com mais de 40 anos. A pesquisa mostrou que o sexo regular é importante quando se trata de prevenção do câncer de próstata já que, quando o sêmen é expelido, ocorre uma espécie de limpeza na próstata. Ele também reforça os níveis de testosterona, o que protege o coração.
 
8. Prolonga a vida: casais que fazem amor pelo menos três vezes por semana parecem 10 anos mais jovens do que aqueles que mantêm relações sexuais duas vezes por semana ou menos, de acordo com estudo.
 
9. Afasta o câncer de mama: pesquisadores na Grécia descobriram que mulheres que raramente têm orgasmo apresentam 25% mais chances de serem diagnosticadas com câncer de mama.
 
10. Diminui a artrite: um estudo realizado em Nova Jersey analisou mulheres com condições como artrite e concluir que as que tiveram orgasmos regulares eram mais capazes de lidar com a dor.
 
 

Sexo oral no primeiro encontro aumenta as chances de relacionamento

 

O estudo foi realizado com 683 mulheres com idades entre 17 e 49 anos, residentes em Dublin na Irlanda. A Dra. Anne Walker Green é pesquisadora de temáticas relacionadas a psicologia aplicada ao comportamento humano. Ela reuniu uma equipe multidisciplinar para avaliar os mitos referentes ao comportamento feminino no primeiro encontro.
sexo-oral
Pesquisa publicada na terceira semana de janeiro na revista científica New Sciense surpreendeu os mais pudicos ao revelar um estudo que comprova que as mulheres que praticaram sexo oral em seus parceiros no primeiro encontro elevaram significativamente as chances deste encontro gerar novos encontros.
 
Durante um ano as mulheres descreveram os sucessos e insucessos obtidos a cada novo encontro e a análise fundamentada e tabulada destes dados originou o livro “Intelligent strategies to the loving’s woman life”. Que já é o livro de maior sucesso comercial publicado pela Dublin City University.
 
O estudo afirma que mulheres que praticam sexo oral no primeiro encontro possuem 78,2% mais chance de ter um novo encontro com o mesmo parceiro. Confira os dados sobre o comportamento sexual no primeiro encontro:
 

Práticas no primeiro encontro Chances de um novo encontro
Sexo oral 78,2%
Masturbação 46,5%
Sexo 30,9%
Sem contato íntimo 9,7%

 
Segundo a Dra. Anne Walker os homens desejam que o primeiro encontro seja inesquecível mas preferem que a prática sexual completa se dê nos próximos encontros. Em entrevista ao jornal Daily Express afirmou que “o macho contemporâneo traz em si uma espécie de interseção entre os valores morais do século XXI e do XIX. Comemoram a liberação sexual, mas esperam um delicado comedimento no início da relação. A mulher de expressiva inteligência afetiva dá o tira-gosto para ganhar o couvert completo”.

7 curiosidades sobre o orgasmo

 

7 curiosidades sobre o orgasmo

1. Manere na bebida: Para os homens, com o excesso de bebida, fica mais difícil alcançar e manter uma ereção e o beberrão ainda pode passar horas sem conseguir chegar lá. Com as mulheres também há uma piora na resposta sexual: Excitação, lubrificação, prazer e orgasmo ficam prejudicados.
 
2. Segundo o jornalista Marcelo Duarte e o ginecologista Jairo Bouer, autores do livro “Guia dos curiosos – sexo”, na hora do orgasmo, as paredes da vagina soltam uma pequena descarga elétrica e cinco mulheres neste momento poderiam produzir energia suficiente para acender uma lâmpada de 1 volt
 
3. Estima-se que os homens ejaculam em média 52 litros de esperma durante a vida
 
4. Além do ser humano, algumas espécies de macacos e possivelmente os golfinhos também fazem sexo apenas por prazer.
 
5. Um homem produz 125 milhões de espermatozoides por dia e a cada orgasmo expele de 80 a 800 milhões deles
 
6. Em geral, os orgasmos femininos duram entre seis e dez segundo, mas algumas mulheres tem orgasmos que chegam a 20 segundos
 
7. Aproximadamente 47% das mulheres tem o primeiro orgasmo por meio da masturbação
 

Como conseguir o tão sonhado sexo anal

 

Como conseguir o tão sonhado sexo anal
 

4 passos para você conseguir o tão sonhado sexo anal

 
1. Introduza o assunto. A não ser que a sua parceira seja fissurada na prática, será necessário um certo grau de intimidade sexual para que a mulher se sinta segura e confie em você. Portanto, não tenha pressa. Explore a região anal dela durante as transas e vá sacando se ela aproveita e relaxa. Nada de ir colocando o dedo de supetão. Com calma, você pode, durante o sexo oral, passar a língua por lá ou a ponta do dedo só na parte externa.
 
2. Arrisque na hora certa. Nada de tentar durante aquelas trepadinhas mequetrefes. Menos ainda quando vocês estiverem bêbados. Perceba que há dias e dias: quando o intestino está com mau funcionamento, a sensação de alguma coisa entrando quando há o que sair pode ser muito desconfortável para ela. Tem que ser naquele dia em que a moça está muito doida de tesão. Teste a frase “quero comer seu c…” (ou algo mais fino, se ela não for chegada em sexo verbal) e avalie se o “não” dela tem potencial para virar um “sim”. Passe a glande na entrada, sem penetrar, só para brincar. Faça uma penetração vaginal e vá brincando lá na porta dos fundos com o dedo. Tenha por perto camisinha e lubrificante.
 
Como conseguir o tão sonhado sexo anal
 
3. Prepare o terreno. A membrana mucosa do reto é muito fina e se rompe com facilidade. Por não ter cicatrização rápida, é vulnerável a infecções. Se o machucado aumenta, pode transformar-se numa fissura e em casos mais graves (e menos frequentes) numa fístula – vá por mim, isso é muito ruim! Como o ânus não tem lubrificação natural, é imprescindível o uso de lubrificante à base de água, pois os muito oleosos podem prejudicar a integridade do látex da camisinha. Aliás, seu uso também é fundamental: a prática do sexo anal sem preservativo é a mais predisposta à contaminação de DSTs!
 
4. Vá fundo — mas devagar. Quando perceber o nível de excitação, massageie o ânus da parceira com um dedo já com lubrificante. Vá devagar. Ao sentir que ela está relaxada, insira dois dedos. Faça movimentos de vaivém lentamente. Coloque a camisinha em seu pênis e introduza-o vagarosamente. Para iniciar, evite a posição “de quatro”. Ela permite penetração mais profunda e pode doer à beça, além de deixar a mulher sem controle nenhum. A velha e boa papai e mamãe ou a “de colher” (de ladinho) podem ser bem melhores. Lembre-se que, se a parceira contrair o esfíncter anal, ela vai ter dor e o negócio vai ser um fracasso. Geralmente a glande entra, mas em seguida você sente a resistência. Tenha paciência para aguardar o relaxamento e continue a penetração. Não seja vigoroso: você pode machucá-la. Se ela pedir para retirar o pênis antes mesmo que você tenha gozado, atenda. Uma próxima vez, quem sabe, você poderá ir até o final. Colocar um vibrador para massagear o clitóris dela pode ser bem interessante. Quando retirar o pênis, segure a camisinha para que ela não escape. Não seja bobinho: não é porque essa transa foi sensacional que a gata vai querer repetir a dose sempre!
Continue lendo…

Camisinhas com sabor de bacon

 

camisinha-sabor-bacon
Certa vez o comediante Carrie Snow comentou: “Se Deus fosse uma mulher, o esperma terá o sabor de chocolate.” Tão brilhante como está avaliação de Carrie, mas muito mais genial é a mais recente inovação das camisinhas com sabor.
 
J&D’s, uma fornecedora de itens interessantes com sabor, como creme de barbear e batom de Sirracha, desenvolveu a mais nova camisinha com sabor de bacon, um lubrificante à base de água que é anunciado a gosto e cheiro de bacon como a carne, gorduroso frito. O pacote todo é selado em um invólucro branco com uma imagem de – você adivinhou – bacon. “Cada preservativo de Bacon tem sido rigorosamente testados para ajudar a garantir a confiabilidade e a máxima segurança para quando você estiver fazendo seu Bacon”, afirma a empresa em seu site.
 
E nem adianta procurar o site deles para comprar, porque já está esgotada e com fila de espera, é parece que o pessoal curte mesmo bacon!

Os principais mitos sobre a ejaculação

 

Os principais mitos sobre a ejaculação
 

Os principais mitos sobre a ejaculação – Mito 1: orgasmo e ejaculação andam juntos

Para a maioria dos homens é assim, pois o organismo associa os dois fenômenos para fins reprodutivos. No entanto, para os adeptos do sexo tântrico, é possível ter um ou mais orgasmos (a sensação deliciosa deles) sem ejacular, o que garante mais tempo de pênis ereto – assim, mais penetração, envolvimento, carícias e afins. São homens “injaculadores”, que têm “orgasmos secos”. Mas não pense que é fácil dissociar: envolve muita atenção aos sentidos, controle dos músculos pubococcígeos, concentração, respiração e treino. É uma outra forma de fazer sexo. Interessou-se? Procure manuais sobre sexo tântrico ou mestres no assunto. Vale lembrar que há homens que removeram a próstata e que, portanto, têm o que chamamos de ejaculação seca: ele tem orgasmo e ejacula, mas, como o líquido seminal não é mais produzido (pela próstata), nada sai.
 

Mito 2: ejaculação precoce não tem cura

O problema tem cura para a maioria dos homens que sofrem com essa disfunção – desde que haja treino, que envolve técnicas de compressão e masturbação. Com ele, o homem identifica os sinais de seu corpo e faz um trabalho para melhorar a ansiedade. Só que há um grupo de homens que tem ejaculação precoce primária de nível grave, que acontece a vida toda, com menos de 1 minuto de penetração. Ela pode ser desencadeada por uma perturbação do sistema nervoso. Por isso, é sempre importante a avaliação de um urologista (para descartar possíveis causas físicas) e a consulta a um terapeuta sexual (para a melhora dos sintomas).
 

Mito 3: é bom ser atleta sexual

Embora seja uma condição que acometa cerca de 4% dos homens, temos percebido ligeiro aumento dos que apresentam incapacidade de ter orgasmo (e, portanto, ejacular) por sentirem-se pressionados em manter a ereção para uma penetração prolongada. Chega uma hora que o corpo cansa e perdese a ereção. Portanto, ser um “atleta sexual” pode ser um feitiço que vira contra o feiticeiro. Medo de engravidar a parceira ou problemas emocionais podem também causar a disfunção. À medida que os homens envelhecem, é comum que demorem mais tempo para atingir o orgasmo e nem sempre ejaculem em todas as relações sexuais.
 

Mito 4: o sêmem é máscara de beleza

Por ser rico em minerais, zinco, aminoácidos, proteínas, hormônios e vitaminas, a mulherada adora contar vantagem dizendo que fez uma máscara facial que deixou a pele incrível. Sem comprovação científica, é papo de boteco e você não deve cair nessa: nem todas as mulheres curtem essa ejaculação no rosto, que empasta o cabelo e arde o olho – e as que gostam não gostam sempre. Na dúvida, evite!
 
Fonte: Revista VIP
 
Quem escreveu esse belo texto foi Ana Canosa, Ana é psicóloga clínica, terapeuta e educadora sexual.
 

10 Exercícios que vão esquentar sua vida sexual

 

Squat

O agachamento é um exercício primordial para a saúde e “fitness”. Você vai notar imediatamente que um agachamento com barra livre é apenas um impulso profundo do quadril: um movimento que é usado com freqüência no quarto.
10 Exercícios que vão esquentar sua vida sexual
Tanto os homens como as mulheres vão ganhar benefícios com isso. Não só os mais fortes do quadril e músculos da perna, abrirá todo um novo conjunto de posições sexuais para tentar, mas fortes​​movimentos corporais como este somados causam ligeiros aumentos na testosterona. Esse aumento é suficiente para aumentar o desejo sexual em homens e mulheres.
 

Kegels

Kegels são simplesmente as flexões dos músculos pélvicos interiores, assim como quando você está tenso tentando não fazer xixi. O fortalecimento desses músculos pode levar a um melhor controle para os homens, e orgasmos mais potentes, tanto para homens e quanto mulheres
 

Standing Ab Crunches

Um forte conjunto de músculos abdominais é fundamental para o sexo. Não importa se você está em cima ou em baixo, ou entre alguma coisa, você vai precisar do seu núcleo para estabilizar você. Standing Ab Crunches é o exercício perfeito para preparar o seu abdômen para o sexo.
 

Kettlebell Swing

Este exercício imita perfeitamente um impulso sexual. Ele também pode ser feito por muitas repetições, o que é valioso para aumentar a sua resistência. O aumento da capacidade aeróbia é muito útil para ambos os sexos no quarto.
Continue lendo…

18 mulheres solteiras contam o que querem na cama

 

18 mulheres solteiras contam o que querem na cama
“Tem homem que acha que toda hora é hora de ser bruto. O cara tem que saber tratar uma mulher, ser delicado, gentil, mesmo que não queira nada além de uma noite.”
T. G., 30 anos, publicitária
 
“Está faltando variedade na hora do sexo. Ter um lugar mais aconchegante, com velas, flores, e fazer algo que saia da rotina, ser mais criativo para nos conquistar. O cara quando se acha bom de cama faz o ‘serviço’ dele como se tivesse fazendo um favor.”
A. B., 26 anos, analista financeira
 
“Quando procuro um sexo casual, não estou atrás de alguém que me faça juras de amor, me dê café da manhã na cama. De preferência, quero ir embora antes de amanhecer – mas um carinho, um beijinho na orelha é muito bom.”
A. L., 21 anos, estudante de direito
 
“Quero homens que pegam em várias partes do corpo ao mesmo tempo. Os que têm essa preocupação são os melhores. Ficar com as mãos na cintura da gente a transa toda não dá, melhor nem tirar a roupa, né?”
N., 24 anos, webdesigner
 
“O maior erro deles é não entender nossa linguagem corporal. Às vezes, fazemos gestos que eles não entendem e simplesmente respondem como querem. Falamos com o corpo o tempo todo, no modo de conversar, olhar e agir na cama. O tesão perde a intensidade quando eles não nos entendem.”
C., 34 anos, relações públicas
Continue lendo…